O cristão preparado para a prática dos seus deveres de Dom Bosco

05/10/2019

Olá, 

Minha saudação de paz, a você e a sua família! O post que compartilho com você, a partir de agora é inspirado numa obra de Dom Bosco. Uma obra dedicada à juventude, mais que consegue chegar ao coração de todos que desejam testemunhar o amor de Deus com suas vidas. É também, por assim dizer, um pequeno/grande livro que conserva ensinamentos relevantes da tradição cristã. Posso afirmar que este livro é um tesouro e estar ao alcance da sua mão, apontando o caminho que conduz ao Céu. Portanto, as linhas que escrevo a seguir tem um único propósito, despertar o seu coração para a riqueza espiritual contida neste livro. Faço votos de que esta postagem possa acrescentar a sua vida, um novo entusiasmo, especialmente, na vivência dos valores do Evangelho. 

OBRA

O livro "O cristão preparado para a prática dos seus deveres", é um clássico da formação católica, com linguagem direta e acessível, escrito por Dom Bosco, especialista na conversão de jovens.

ESTRUTURA

Esta edição foi publicada pela Minha Biblioteca Católica, (um Clube do Livro Católico no Brasil que vem editando grandes tesouros da tradição cristã). O livro possui 132 páginas e está dividido da seguinte maneira: introdução, seguido pelo primeiro capitulo com o tema - "Meios necessários para um cristão tornar-se virtuoso". A partir deste tema central no capitulo um, são desenvolvidas uma série de catequeses. No segundo capitulo são destacados os "Meios de perseverança", com profundas reflexões fundamentadas em atos do cotidiano. O capitulo três é dedicado a "Semana meditada", falaremos um pouco mais desta semana ainda nesta postagem. Já o capitulo quarto nos exorta a "Práticas de piedade cristã". Por fim, o capitulo cinco apresenta os "Fundamentos da fé católica". É esta a base estrutural desta obra.

CONTEXTO

Por ser, atento, a realidade da juventude, Dom Bosco identificou, pelo menos, duas mentiras utilizadas na época, (que, aliás, se fazem presente ainda hoje), para afastar os jovens da virtude. A primeira é fazer o jovem acreditar que servir a Deus é ter uma vida melancólica. Já a segunda mentira é a de que o jovem tem vida longa, e, portanto, deve adiar a conversão para quando estiver na velhice, ou mesmo na hora da morte. Em resposta a estes erros massificados entre os jovens, Dom Bosco desenvolve uma catequese que fala ao coração, exortando-os a uma profunda conversão que tenha inicio ainda na juventude.

O Santo entende que a mentalidade descrita acima, massificada entre a juventude, possui uma única finalidade, precipitar a alma do jovem no inferno. Entre outras referências, Dom Bosco fundamenta sua catequese em provérbios 22,6 que diz: "Ensina a criança o caminho que deve seguir, que não se afastará dele, mesmo quando envelhecer". E acrescenta em seu comentário: "isso significa que se nós começamos a viver bem na juventude, continuaremos assim na velhice, e então, teremos uma boa morte, que será o princípio de uma felicidade eterna".

Referindo-se aos "Meios necessários para um cristão tornar-se virtuoso", Dom Bosco chama atenção para "O conhecimento de Deus", ressaltando o profundo amor de Deus para com os jovens, e acrescentando que a "Salvação de um cristão geralmente começa no tempo da juventude". E continua: "a primeira virtude de um jovem é obedecer aos pais e superiores", acrescentando "esta obediência se transforma no devido respeito à Igreja e aos sacerdotes".

O Santo recomenda ainda a prática da leitura espiritual. E entre os livros citados estão: Imitação de Cristo de Tomás de Kempis; A Filotéia de São Francisco de Sales; Preparação para morte de Santo Afonso e Vida dos Santos. E, claro, a própria Palavra de Deus, contida nos livros Sagrados.

CITAÇÕES

Dentre as muitas passagens marcantes desta obra, destacam-se, a meu juízo, as que, compartilho com você a seguir. E nada melhor do que começar partilhando uma síntese das reflexões de Dom Bosco sobre virtudes, destacando aquela que ele considera a mais bela entre todas: a santa pureza.

"toda virtude é um precioso ornamento que nos torna caros perante Deus e perante os homens. Mas a virtude rainha, a virtude angélica, é a santa pureza! Um tesouro inestimável, que torna o homem que a possui semelhante aos anjos de Deus, embora ainda habite na terra", (Pág. 29).

Ao tratar das más amizades, Dom Bosco é categórico: a melhor saída é fugir!

"Há três tipos de amigos: os bons, os maus e os que estão no meio termo. Com os primeiros nós podemos nos relacionar, que isso nos trará vantagens; com os últimos somente quando houver necessidade, mas sem contrair familiaridade. Quanto aos maus, devemos evitar sempre", (Pág. 40).

O AUTOR

Dom Bosco nasceu na Itália em 1815 e foi ordenado sacerdote em 1841, em Turim. Dom Bosco fundou duas Congregações religiosas: os padres salesianos e as irmãs filhas de Maria Auxiliadora. Fundou, além de escolas tipográficas, revistas e editoras para difundir a boa imprensa católica. Dom Bosco era sempre o mesmo entre os pobres ou entre reis e ministros. Era amigo dos protestantes e judeus, e escrevia: "Reprovemos os erros, mas respeitemos as pessoas." Morreu no dia 31 de janeiro de 1888 e foi canonizado por Pio XI em 1934.

NOTA: Esta síntese de informações sobre o autor foram retiradas do site cleofas.com.br.

IMPRESSÃO PESSOAL

Considero o capitulo III como o ponto mais elevado deste livro. Neste capitulo se encontra a "Semana Meditada". Para favorecer um amadurecimento espiritual entre os jovens, Dom Bosco preparou uma série de reflexões, com temáticas especificas, para cada dia da semana, sempre precedida de uma oração que invoca a intercessão da Santíssima Virgem Maria, Mãe de Jesus, do Anjo da Guarda e de todos os Santos do Céu. É uma opção excelente para quem deseja iniciar uma vida de oração e não sabe ainda por onde começar.

APRENDIZADO

Embora, pequena no tamanho, esta obra se revela gigante nos ensinamentos, pois de fato, oferece reflexões essenciais para que o cristão assuma a prática dos seus deveres. Do começo ao fim, o leitor é exortado a assumir o seu batismo e transforma-lo em serviço ao outros. O Clube da Leitura Católica é uma consequência prática, impulsionada pelos ensinamentos contidos nesta obra.

CONSIDERAÇÕES 

Que bom! Você se permitiu chegar até aqui. Agora, o caminho segue, e a partir deste ponto você pode escolher dá continuidade a caminhada ou voltar ao começo. Se deseja seguir em frente, tornar-se assinante do Clube da Leitura Católica. Assim, você pode ter acesso a leitura deste livro, e de tantos outros que irão aparecer por aqui.

Por Daniel Jorge